O Purebreak bateu um papo com a Dulce Maria e ela contou todos os detalhes sobre o “Origen”; confira!

0

Sucesso mundial? Prêmios? Manda bem na música e na atuação desde pequena? Desses assuntos, Dulce María manja e muito! E agora a ex-RBD está prestes a lançar uma novidade incrível para os fãs: o projeto “Origen”! A gata esbanjou toda a sua simpatia ao falar com nossa equipe e preparamos um bate-bola daqueles para deixar todo mundo por dentro do que está por vir na carreira da diva mexicana.

O que podemos esperar do “Origen”?

Bem, é um projeto muito pessoal, é algo muito meu. As canções escritas por mim há vários anos, algumas têm dois anos, outras têm sete anos, outras têm quatro, cinco… São canções de diferentes fases da minha vida, que falam de amor, de solidão, de decepção, algumas até de coisas sarcásticas, com humor. E, bem, eu espero que vocês gostem muito! Como eu disse, é um projeto que foi decidido por mim, desde o nome, foto, arte, produção…

Se inspirou em algum outro artista?

São minhas canções, minhas histórias e é para pessoas que definem esse projeto, não algo mais. Como pode ser divertido, também pode ser nostálgico, algo que possa identificar as etapas da vida. Não sei se tem uma proposta diferente, mas realmente não me inspirei em ninguém em especial, só na música que eu gosto e nos fãs.

O que te levou a tocar esse novo projeto?

Estou há quase 28 anos nesta carreira e sempre fiz muitos personagens em novelas, estive em grupos musicais que eu cantava as histórias de outras pessoas, e esse projeto precisava expressar o que eu sinto, necessitava contar minhas histórias, expressar os passos que quero dar, compartilhar com meus fãs as minhas vivências e experiências e que foram completamente minhas. Isso é uma necessidade pessoal e também profissional, de poder me expressar através das fotos, da arte, do vestuário, nos shows, no nome do disco. Era uma necessidade me expressar e levantar minha voz e foi daí que saiu essa vontade de tocar esse novo projeto.

No primeiro single, “Lo Que Ves No Es Lo Que Soy”, você diz que vai apresentar algo novo, uma Dulce María que os fãs não conhecem. Então, afinal, quem é a Dulce María que você quer mostrar pros fãs?

Bem… “O que vês não é o que sou”! (risos) É difícil descrever, mas a canção fala um pouco da percepção que eu tenho do que eu vivo, não as viagens e as apresentações e minha carreira ou tudo isso. Para mim é muito diferente do que as outras pessoas veem. Creio que as pessoas supõem quem é você com o que publica nas redes sociais ou o que vêem em um cenário. Mas esse não é você! Não sabem precisamente sua história, não sabem suas batalhas, seus medos… Sim, muitos dos meus fãs sabem das minhas batalhas e me conhecem muito bem, os amo muitíssimo, mas ninguém sabe de suas histórias e suas batalhas mais que você mesmo, não? Essa música é pra mostrar que o que você vê, não é o que sou, tem muito mais que não conhecem.

Tem algum projeto na TV ou no cinema ou seu foco é apenas o “Origen” neste momento?

No momento, estou focada na apresentação no Metropolitan, aqui no México, onde vou apresentar parte deste projeto, no dia 5 de outubro. E, por enquanto, estou focada nisto e nada mais.

O que você acha da representatividade latina no mundo atualmente?

É muito bom abrir essas janelas e que a música latina percorra o mundo desta forma, que funcionem os diferentes gêneros musicais. O que eu mais quero é deixar mensagens bonitas, que pessoas se identifiquem com as canções, que podem fazer parte de suas vidas e suas histórias. Por isso creio que expressar-se através da música sempre será bom, fazer músicas para se divertir, para dançar, existem outras músicas para refletir, outros para rebelar-se das coisas… Mas, tendo música, tudo está bem.

E, pra finalizar, já tem alguma data para voltar ao Brasil?

Ainda não tenho datas, obviamente me encantaria muito voltar aí logo, porque sinto muita falta de vocês, adoraria levar o “Origen” para o Brasil. Eu acredito que no próximo ano.

Fonte: Purebreak

Compartilhar